Como precificar meu produto ou serviço?

Postado em 11 de janeiro de 2022

Finanças e vendas

Quando falamos de vendas, é natural a dúvida sobre como precificar um produto ou serviço, principalmente de forma que o negócio gere lucro e fique livre de lucros baixos ou prejuízo.

Por isso, é essencial pesquisar os melhores métodos de precificação e aplicá-los na sua empresa. Continue a leitura e descubra algumas formas de cobrar pelo seu produto ou serviço!

Markup

O Markup, em português, ‘marcação’ é uma metodologia bastante utilizada no mercado empresarial, pois nela são considerados os custos de produção, distribuição do produto e o preço de venda. Sua fórmula é a seguinte:

Markup: [(Preço de venda – Custo unitário) / Custo unitário] x 100

Esse método calcula a diferença percentual do custo de um produto/serviço frente o preço vendido no mercado. Veja um exemplo: se uma peça de roupa é vendida por R$75,00 e custa R$50,00, o Markup nesse caso é de:

Markup: [(R$75,00-R$50,00) / 50 x 100 =

Markup: 0,50 x 100 = 50%

Logo, aqui o markup ajuda o empresário a compor um valor que cubra o custo de produção e as despesas fixas e variáveis do produto/serviço, ou seja, gerando um lucro.

Análise dos custos e despesas

Esse tipo de precificação compreende a análise dos custos e despesas, de qual seria a melhor forma de definir o preço ao colocar o seu produto ou serviço à venda, incluindo as despesas variáveis e os custos de comercialização.

Enquanto que o aluguel é uma despesa fixa — pois vendendo ou não você vai ter que pagá-lo, alguns tipos de matéria-prima são tidos como custos variáveis.

Sobre os custos de comercialização, estamos falando daqueles que são existentes a partir de uma venda concretizada. Os impostos são um bom exemplo.

Pegando todos esses custos e despesas, o empresário deve colocar na ponta do lápis quanto pode cobrar por cada item, de modo que os ganhos sejam maiores que os gastos e a margem de lucro seja mantida.

Pense no valor agregado

Se você vende produtos renomados ou utiliza deles na execução do seu serviço prestado, é natural que queira ser recompensado por isso. Sendo assim, procure demonstrar ao cliente a importância de adquirir o seu produto

Em outras palavras: busque mostrar os seus diferenciais, o que ele ganha ao comprar no seu comércio e porque todos esses pontos têm poder de influenciar no valor final das peças e/ou do serviço prestado, tudo isso visando ressaltar a qualidade ofertada.

Igualmente, é interessante destacar que os consumidores desconfiam de produtos baratos demais, o que nos leva ao desafio de saber equilibrar um preço competitivo mas que ao mesmo tempo caiba no orçamento da clientela.

Isso é fácil de entender quando pensamos que um cliente pode comprar o seu produto. Mesmo que ele esteja com um valor mais alto que o seu concorrente, se a qualidade for superior, o valor vale muito a pena. Sendo assim, coisas como essas precisam ser mostradas ao consumidor, reforçando as vantagens de aquisição do seu produto/serviço a curto e longo prazo.

Serviços: cobre por hora ou valor fixado

Se você tem uma empresa de prestação de serviços, pode ser viável a precificação por hora de serviço trabalhada, previamente estabelecida em tabela. Bem intuitiva essa opção evita desconfortos na hora de estipular o custo de um projeto.

Com um valor fixado, o empresário também garante que seu material de trabalho e tempo empregado sejam considerados, evitando prejuízos ao seu bolso. 

Digamos que você tem um petshop e faz o serviço de banho, tosa e passeio. Nesse caso, pode fixar uma tabela com os valores de cada tipo de trabalho. 

Em se tratando do serviço de passeio com os pets, você pode estipular preços diferentes para períodos de tempo mais ou menos extensos. Dessa forma, o cliente tem ciência de quanto irá desembolsar e/ou qual trabalho deseja solicitar. 

Afinal, qual o melhor método de precificação de produtos e serviços?

Como vimos, existem diferentes formas de precificação tanto de produtos como de serviços, porém não há um consenso sobre qual o ideal para sua empresa, já que isso vai depender do tipo de negócio que você empreende, entre outros fatores.

Alguns especialistas defendem que o método Markup é um modelo ideal para manter a empresa competitiva e lucrativa. Fora isso, além de prático e simples, o markup costuma estar presente nos sistemas de gestão financeira, como o BITIS.

Uma dica é utilizar as opções que mencionamos ao longo deste conteúdo para testar como sua empresa se adapta a cada tipo de precificação.

Gostou do texto? Então compartilhe-o nas redes sociais!

voltar

Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin